Início Cidades Comitê Científico do Nordeste recomenda lockdown na Grande João Pessoa e em...

Comitê Científico do Nordeste recomenda lockdown na Grande João Pessoa e em Campina Grande e mantém posição contra cloroquina

183
0
COMPARTILHAR

Novo boletim do Comitê Científico do Consórcio Nordeste, divulgado nesta quinta-feira (21), aponta que a Grande João Pessoa e Campina Grande já tem condições par implantação de lockdown contra a disseminação do novo Coronavírus.

O relatório cita que, na área metropolitana de João Pessoa, há de 83-88% de ocupação de leitos de UTI nas últimas 48h e em Campina Grande, 83% de ocupação de leitos de UTI. O lockdown também foi recomendado para Mossoró, Natal, São Miguel dos Campos (AL) e Salvador. Na região, estão em regime de restrição avançada São Luiz, Fortaleza e a área metropolitana do Recife.

“A partir de hoje estas localidades podem ter que utilizar esta medida para diminuir as curvas de expansão da pandemia e evitar uma velocidade ainda maior no número de óbitos”, diz o documento.

Principais entroncamentos rodoviários de cada Estado, níveis de isolamento social em
todo Nordeste, bem como distribuição geográfica de casos e óbitos na região.

Em resposta à Portaria do Ministério da Saúde, publicada ontem (20), o Comitê manteve sua posição inicial contrária ao uso da cloroquina e da hidroxicloroquina, isoladas ou em associação com outros medicamentos, para o tratamento de qualquer fase da infecção provocada pelo Coronavírus.

O Consórcio disse que a decisão é ‘ baseada em evidências científicas e clínicas publicadas nas maiores revistas científicas do mundo e ratificadas pelas mais importantes instituições de pesquisas internacionais, entre as quais o National Institute of Health (EUA), a European Medical Agency (Comunidade Européia) e a Fiocruz, no Brasil’.

“Além de não haver nenhuma demonstração científica ou clínica crível da efetividade terapêutica desses medicamentos, em qualquer estágio da infecção por Covid-19, os graves efeitos colaterais que podem advir do seu uso em pacientes portadores do Coronavírus, incluindo morte súbita por parada cardíaca irreversível, insuficiência hepática e renal, justificam plenamente a decisão deste Comitê. Na realidade, o uso desses medicamentos constitui conduta temerosa que pode pôr pacientes em risco de morte, sem oferecer nenhum benefício terapêutico comprovado”, diz o Comitê.

Aumento da testagem para Coronavírus e para a dengue

Em face do aumento de casos de Coronavírus e de dengue na região Nordeste, o Comitê pontuou a necessidade de aumentar a testagem da população em toda a região para ambas as infecções.

“Para tanto, o Comitê solicita que os governos estaduais se informem sobre a disponibilidade prevista de testes para a dengue, uma vez que o aumento de casos dessa doença também contribuirá para a sobrecarga dos sistemas de saúde do Nordeste nas próximas semanas. No que tange ao Coronavírus, o Brasil continua sendo um dos países do G20 que menos testa sua população. Sem o uso de testes confiáveis, o combate à pandemia fica extremamente prejudicado”, declara.

Brigadas Emergenciais de Saúde

O Comitê enfatizou a necessidade de se pôr em prática a recomendação de estabelecer, a nível de cada estado, a criação de Brigadas Emergenciais de Saúde.

A finalidade principal delas deve ser o uso de equipes formadas por médicos da família, enfermeiros e agentes de saúde para combater o Coronavírus nas casas das pessoas, nos bairros, municípios do interior e periferias das grandes capitais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui