terça-feira, março 5, 2024
No menu items!
Google search engine
InícioJoão PessoaApós seis meses, morre homem que aguardava cirurgia em João Pessoa

Após seis meses, morre homem que aguardava cirurgia em João Pessoa

Seis meses depois de conseguir, por meio de uma decisão judicial, o direito de fazer uma cirurgia para desobstrução de uma artéria, João batista, de 59 anos, morreu de infecção generalizada na terça-feira (19) sem conseguir fazer o procedimento. João foi enterrado no cemitério de Bayeux, na Região Metropolitana de João Pessoa, na manhã desta quarta-feira (20). A TV Cabo Branco, por meio do Bom Dia Paraíba, acompanhou a saga de João e conta a história que terminou em tragédia para a família.

João Batista morava em Bayeux e em fevereiro do ano passado, por causa da diabetes, recebeu o diagnóstico de um problema nos rins e que precisava fazer uma angioplastia para resolver. Em julho de 2015 a família conseguiu uma liminar na Justiça de Bayeux, que determinou que a Secretaria de Estado da Saúde realizasse a cirurgia em até oito dias, sob pena de multa de R$ 500 por dia de descumprimento, por causa de um problema de circulação que João desenvolveu no braço.

Em setembro do mesmo ano, 60 dias depois da decisão, o Estado emitiu a ordem de serviço e empenho que garantia o pagamento da cirurgia, no valor de pouco mais de R$ 23 mil. No relatório do caso, a secretaria disse que fez vários contatos com a clínicia que faria a cirurgia e que o hospital se negou a fazer o procedimento sem apresentar justificativa. A direção do hospital falou que não possuia convênio com o Sistema Único de Saúde (Sus) e que por isso dependia do pagamento prévio para fazer a cirurgia.

No dia 5 de janeiro deste ano, o Governo do Estado encaminho um ofício à Justiça de Bayeux infomando que o sistema financeiro do estado estava fechado, e que por isso não tinha como fazer o pagamento do procedimento. No dia 14, um dia depois que João teve o braço amputado, a Justiça cobrou agilidade do estado. Na terça-feira (19), João não resistiu e morreu. Ele estava internado na UTI do hospital São Vicente de Paula, em João Pessoa.

A promotora da Saúde Maria das Graças Azevedo, por telefone, explicou a TV Cabo Branco que vai enviar um ofício para o hospital onde ele estava internado, para entender o caso e só então se pronunciar. A secretaria de comunicação institucional do Governo do Estado divulgou um áudio nesta quarta-feira afirmando que vai processar a clínica que não realizou a cirurgia.

Enquanto isso, a família, que perdeu o aposentado, se preocupa com outras pessoas que passam por situação parecida. “Estamos revoltados porque a cirurgia foi autorizada. Se tivesse sido feita, ele teria ficado um pouco mais aqui com a gente. Meu tio foi embora, mas há muitos outros esperando. Do jeito que aconteceu com ele pode acontecer com os outros”, concluiu Andrea Delix, sobrinha de João.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil na Paraíba (OAB-PB) Paulo Maia, disse que a família deverá com auxílio de um advogado postular em juízo a pretensão indenizatória. “Infelizmente é o que resta fazer”, ressaltou ele.

Fonte: G1

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine
Google search engine

Most Popular

Recent Comments