sexta-feira, maio 24, 2024
No menu items!
Google search engine
InícioManchetesMaia nega relatoria na comissão do Orçamento ao PP, e partido reage...

Maia nega relatoria na comissão do Orçamento ao PP, e partido reage na disputa da Câmara


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), durante entrevista neste mês — Foto: Flavio Corvello/Futura Press/Estadão ConteúdoO presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), durante entrevista neste mês — Foto: Flavio Corvello/Futura Press/Estadão Conteúdo

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), durante entrevista neste mês — Foto: Flavio Corvello/Futura Press/Estadão Conteúdo

Nos últimos dias, o PPpressionou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para que ele desfizesse o acordo com o PSDpela relatoria da comissão de Orçamento, em troca de apoio para a sua reeleição.

No entanto, Maia comunicou aos caciques do PP que vai manter o acordo com o partido de Gilberto Kassab, que fechou apoio a ele antes.

O relator do Orçamento é quem, no fim, organiza como serão alocadas todas as despesas do orçamento. É quem dá a palavra final: por isso, o poder é imenso. O responsável pelo posto é procurado por todo mundo, tanto com interesses legítimos quanto ilegítimos.

Candidatura própria

Sem a relatoria da comissão de orçamento, o PP reagiu e vai lançar candidato para disputar com Maia. Artur Lira (AL), ligado ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha – atualmente preso – vai lançar sua candidatura e tem por objetivo arrastar outros partidos do centrão, como parte do MDB.

O PP ainda conta com outro candidato, mas avulso: o ex-ministro da Saúde Ricardo Barros, que confirmou a informação ao blog.

Ricardo Barros também confirmou ao blog que a articulação do PP envolvia a relatoria da comissão de orçamento. E disse que sua candidatura é avulsa: “atendi bem no ministério bem a todos indistintamente, e estou tendo boas adesões”.

Sobre as negociações, Maia diz que já fez acordo e não vai mudar sua palavra.

Comemora, por outro lado, o apoio do PDT – que descartou uma aliança de oposição com a esquerda para declarar apoio ao presidente da Casa. Em troca, pode ficar com uma vaga na Mesa Diretora.

O apoio do PDT, no fundo, reflete que a mágoa do partido com PT e PSB ainda não passou: durante a eleição presidencial, os dois partidos isolaram o então candidato Ciro Gomes após uma articulação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, da cadeia.

A dobradinha deixou Ciro Gomes sem tempo de TV e obrigado a lançar uma chapa puro sangue, ou seja, com uma vice também do PDT.

fonte g1

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine
Google search engine

Most Popular

Recent Comments